domingo, 6 de novembro de 2011

Matéria da revista Veja. Com a palavra os maiores interessados, os fãs.

A princípio achei desnecessária a divulgação desta matéria aqui no Blog, mas como não somos alienados nem nada  e considerando que quem  tem o direito de falar sobre a música de Marisa são aqueles que ouvem sua música, colocamos aqui a tão comentada matéria da revista Veja, que permanece em cima do muro de forma quase preconceituosa.
Enquanto a revista  Rolling Stone Brasil considera Marisa Monte como a maior cantora do Brasil  a Veja continua batendo na mesma tecla. Tecla esta que só tem no seu próprio instrumento visto que os fãs, maiores interessados, têm exaltado Marisa desde o lançamento do novo CD que é no mínimo ensolarado.
Leia a matéria e coloque sua opinião a respeito.



Marisa Monte se afoga no brega

Em seu novo disco, Marisa Monte parece ter esgotado a capacidade de refinar a música cafona




Marisa Monte sempre trabalhou para borrar a distinção entre a “alta” MPB e os mais menosprezados — às vezes duvidosos — gêneros popularescos. Em seus discos, para cada canção clássica de George Gershwin havia um iê-iê-iê de Roberto Carlos, e os sambas melancólicos de Paulinho da Viola e Nelson Cavaquinho eram rebatidos por uma letra de autoajuda de Nando Reis ou uma maçaroca rítmica de Carlinhos Brown. Ao longo de mais de vinte anos de carreira, Marisa defendeu, muitas vezes com bons argumentos, o valor da música “menor”. E reafirmou esse credo nas entrevistas de divulgação do novo álbum, O que Você Quer Saber de Verdade, dizendo que sua obra teve desde o início uma “vocação popular”. Boa cantora que sempre soube se cercar de ótimos músicos e arranjadores, até agora ela vinha conseguindo, de fato, refinar a cafonice, pairando soberana sobre o brega. Mas, no disco recém-lançado, o oitavo de sua carreira, Marisa afinal sucumbiu.
Expoente do híbrido de pop e MPB que emergiu depois do rock dos anos 80, Marisa é ainda uma influência fundamental para intérpretes da nova geração: todas insistem no flerte com a música cafona, e há até quem imite a sua falta de jeito no palco. Em O que Você Quer Saber de Verdade, porém, até o ecletismo da cantora tornou-se previsível: uma regravação de Jorge Ben aqui, uma balada em seguida, um resgate da MPB tradicional ali. Além disso, os músicos que ela chamou para o disco ou estão descaracterizados (caso do guitarrista Lúcio Maia, do baixista Dengue e do baterista Pupilo, muito aquém do que mostram no grupo Nação Zumbi) ou têm uma participação decorativa. Ao final do CD, tem-se a impressão de ter ouvido não Marisa, mas alguma integrante do batalhão de intérpretes que a imitam. Marisa Monte virou um genérico de si mesma.
Herdeira direta do tropicalismo, movimento pioneiro em dar chancela intelectual à veia kitsch da cultura brasileira, Marisa namora aqui a música ruim da vez, o sertanejo universitário — seja no ritmo, seja nas letras do mais banal romantismo (“você que me faz feliz / você que me faz cantar”). O baladão Depois vem de uma tradição mais sólida, mas igualmente insuportável: lembra como a influência da fase romântica de Roberto Carlos foi nefasta para a MPB. Para um certo público, a voz de Marisa Monte converteu-se em um selo do bom gosto, autorizando a entrada de xotes e boleros na sala de jantar. E é só essa autoridade estabelecida — mas frágil — que ainda permite distinguir suas novas canções daquilo que se ouve em discos de Luan Santana ou Paula Fernandes.


*

45 comentários :

Cristiane Tavares disse...

Achei lamentável esta matéria de Sergio Martins na Veja.... Postei comentário lá... só quero ver se vão publicar... As faixas que eu ouvi do álbum novo são maravilhosas, soam a Marisa... O cara falando das letras do Nando Reis e da "maçaroca" rítmica do Carlinhos Brown... A única coisa que importa são os fatos... o sucesso de Marisa e os fãs incondicionais dela! Eles que digam que pensem que falem... Ela É A MELHOR!! To com raiva, pronto falei!!

Fernando Oliveira disse...

a matéria a detonou mesmo hein,mas sinceramente,não só a Marisa,mas qq artista com prestígio nem liga p certas críticas que saem sobre eles,pois os mesmos sabem que estão dando a cara a tapa,seja pra um afago ou alguma agressão ao seu trabalho.

acho q vc fez bem em postar a matéria,Vanuza.

Bjos

vanuza silva disse...

Eu como fã de Marisa a anos estou dando glórias a este novo CD. Por anos ouvi falarem que a música de Marisa era de elite, difícil de entender, música pra rico. Hoje ouvimos Marisa no ônibus, as pessoas cantarolando nas ruas músicas que não chegariam até elas não fosse por Marisa. A veja vem atacando Marisa já a alguns anos como se sua opinião fosse única e soberana, nós é que sabemos e conhecemos a música da Marisa, nós é que sabemos o alcance do trabalho magnífico que Marisa faz, não como a Veja que continua bitolada em suas opiniões, leitura para poucos, Marisa faz música para todos, sem fronteiras e faz isso com requinte e qualidade, coisa que é difícil nesse país que teima em achar que música popular tem que ser fraca em sua composição.

ProfºAllan disse...

Que crítica infeliz...Marisa, voltou em grande estilo retratando através de letras que exaltam o amor pela vida, por si e tudo que remete a vida de um ser humando de carne, pele, osso e cor. Compara-la a pseudo-artistas de temporadas soa mais do que injusto. O que difere a Marisa das demais é justamente a maneira como conduz sua carreira vitoriosa.Ok, criticas são críticas agora o que eles queriam? Uma Marisa a La Lady Ga Ga? A novidade em frações de segundos se torna antiguidade e o novo passa a ser efêmero.Com a minha pouca experiência de vida, aprendi que o a crítica na maioria das vezes desce a lenha é justamente o que faz do trabalho algo fenomenal. Atualmente, não consigo ouvir outra coisa a não ser "O que você quer Saber de Verdade".Isso pra mim basta afinal de contas esses críticos na maioria das vezes são músicos frustados que gostariam de ter o mínimo que ela conquistou nas duas últimas décadas.

Danilo disse...

A Veja não é referência pra nada. Revista burguesa, vendida, elitista e nojenta sempre dá chilique com qualquer um que lhe pague para isso. O último do Chico que saiu a uns meses atrás foi a mesma história, Caetano nem se fala...

Marisa pode gravar um disco totalmente cult, só de standars de Cole Porter, por exemplo que vai ser a mesma história.
Há muito a Veja é um câncer para a comunicação do Brasil.

Ufa...Me perdoem o desabafo.

Carol disse...

Existem ouvidos e ouvidos né gente?
São tão babacas (desculpem a expressão) de fazerem uma matéria falando mal da nossa Marisa Linda Monte.. Bixo, e Luan Santana? E essas merdas todas? Sabe, não valorizam o bom que o Brasil tem, você não vê na 'veja' UMA matéria falando sobre essas bandas maravilhosas que estão surgindo por aí (exemplo de uma banda pra não ficar chato: Móveis Colonias de Aracaju). Eu nem sei, porque não suporto 'veja', mas a capa deve ser a separação do zezé e luciano. Não desmerecendo a música deles, mas né... Isso é digno da capa de uma revista? Tantos assuntos pra falar, não é?
Pra mim o que falam nessa matéria aí é indiferente! O que me deixa puta, é a pessoa desvalorizar a música Brasileira de boa qualidade e formar uma opinião para os sem opiniões, e ainda expor internacionalmente o que o 'povo' Brasileiro acha da própria música, porque lá fora Marisa Linda Monte é uma Diva! E é isso mesmo que ela é DIVA!
Pra mim, Marisa não se vê, não se ouve ou escuta, nem mesmo se lê...
Pra mim, Marisa Monte se sente com o coração e alma, sua voz Divina, e cada detalhe que tem em cada uma de suas músicas.
-DESCULPEM SE FICOU CONFUSO O MEU COMENTÁRIO- mas é isso aí

Pedro Vianna disse...

Crítica Infeliz!! Essa Revista pensa que o que ela diz é isso e ponto final! Revista burguesa,elitista e nojenta, como bem disse Danilo em seu comentário. Marisa é e sempre será a Diva da MPb...Essa Revista é uma espécie de metamorfose não ambulante, pois suas opiniões sempre ultrapassadas e desenhadas com o mesmo molde,fazem parecer que nós,somos todos alienados e rasos de um pouco sequer de inteligência...

Flávio Carrijo disse...

Até concordo que Marisa tenha sucumbido ao brega. Mas quem foi que disse que pra ser brega tem que ser ruim? É ai que nasce o preconceito.

Renata Porto disse...

Então, eu sou um tanto cética quando o assunto é crítica no Brasil. E não estou falando somente dos críticos musicais. Um bom crítico precisa saber ser independente do seu gosto ou sua crítica se torna opinião e ninguém deveria consumir arte seguindo a opinião do outro. Opinião por opinião, cada um deve ter a sua sem desmerecer a de ninguém. Não vejo, de forma geral, uma formação crítica no nosso país, claro que existem exceções, mas vejo tanta crítica refletindo o gosto pessoal do autor que me pergunto "Ele está escrevendo pra quem?". O crítico não pode ser preconceituoso no seu trabalho e o que vejo nesse texto é isso desde a primeira linha. Marisa canta o que ela gosta e cada um escuta o que quer. Seus fãs e os fãs de outros artistas precisam ter seu próprio senso crítico. Quem faz as coisas esperando agradar a todos no final não agrada a si mesmo e é por isso é que eu amo Marisa. Para fazer uma crítica de qualidade, positiva ou negativa, é necessário ter bons argumentos. E que venha o próximo.

Andressa Piazzi disse...

Infeliz matéria! Indigna de qualquer atenção! O ininterrupto sucesso de Marisa Monte há mais de 20 anos fala por si só, e ponto final!

LINO MOURAIS disse...

E quem disse que ser brega é ser ruim? ... Péssima a matéria, mas já era de se esperar, acho que a Veja tem um GRANDE rancor dela, talvez por que Marisa deva ter dito um SONORO não a alguma matéria de Capa onde ele costumam querer invadir a vida das celebridades com matérias polêmicas, como foi o caso da Capa com Ana Carolina que teve sua orientação sexual exposta acima de sua música, enfim... Acho triste um cara que talvez nem seja jornalista usar uma linguagem tão feia pra falar de um cantora de NOME DA MPB, ok, é o ponto de vista dele, mas será que ele ouviu o CD novo? Ou será que ele ouviu demais Luan Santana e Companhia? Respeito Paula Fernandes em seu estilo e ela tem muito talento, mas daí comparar Marisa com Luan? Foda, heim? Mas ta tudo certo, quem fala o que quer ouve o que não quer, seria legal que ele viesse aqui conferir o que achamos desta matéria ridícula dele. Marisa, I LOVE YOU, amamos seu Disco, ele está lindo e pronto pra ser escutado por todos. beijos Van e Fernando.

LINO MOURAIS disse...

Ah, e só pra lembrar ROBERTO CARLOS é considerado por muitos, até hoje um cantor brega, eu adoro suas músicas, e ele continua encantando gerações e ganhando muito dinheiro.

André disse...

O crítico musial pra mim só tem valor, quando ele conseguer apresentar algo construtivo em sua crítica. Quando ele quer aparecer mais do que o seu trabalho, pra mim torna se totalmente desinteressante e sem nexo algum. Se prestarem atenção, ele critica Roberto, Paulinho da Viola, Nelson Cavaquinho e este mesmo dito "critico", soltou o verbo na critica do novo cd do Chico Buarque quando foi lançado. Se ele não gosta de MPB (pois é o que parece), vai criticar outra coisa e em nenhum momento ele faz um contraponto com algum trabalho anterior da Marisa, para dizer o que não gosta.
Sr. Sérgio Martins aprenda com a Marisa, quando o artista (no seu caso jornalista), quer aparecer mais do que o seu trabalho, a coisa não funciona e guardar ressentimentos só porque Marisa tenha dito um não para alguma entrevista sua é muito feio. Coisa de jornalista mequetrefe de 5º.

Anônimo disse...

Marisa fora! hhahahaha

Andreia martins

Carlos disse...

Essa richa entre a Marisa com a Veja vem de tempos...Essa revista sempre pegou no pé da Marisa e ela sempre se mostrou indiferente as provocações da revista...Lembro de quando perguntaram para a Marisa em relação a uma crítica q a Veja tinha feito sobre "Os picolés de chuchu culturais" (link: http://veja.abril.com.br/260105/p_108.html )

Daí a Marisa respondeu que não soube da crítica porque simplesmente não lê a revista Veja...ou seja, qualquer matéria que vcs encontrarem na revista falando da Marisa, com certeza vai ser falando mal dela!

O que importa é que este CD ficou MARAVILHOSO!!!

A "Revista Bravo" fez uma crítica bem legal sobre o CD neste mês...

Léo Alves disse...

Lamentável esta matéria... só posso acreditar que esse jornalista é uma criatura invejosa, que não tem a menor criatividade (característica marcante da MM). Mas, isso é tão pequeno diante do talento da cantora, não é mesmo?

Léo Alves disse...

Vejam a minha resposta no Facebook... http://www.facebook.com/photo.php?fbid=230066620390140&set=a.207854582611344.52231.100001604101634&type=3&theater

Alexandre disse...

PESSIMA Critica, me assustei hoje quando abri a revista e me deparei com essa manchete.
mas não vamos nos abalar isso não vai desrealsar nem um pouco o trabalho da Marisa

PARABÊNS Marisa Monte, nos te amamos!!!!

Romulo Viana disse...

So um comentario para esta materia: PERNAO HEIN MARISA!!! O resto a gente deleta ...

Wecsley disse...

Não queria dizer isto, mas depois de tribalistas o que veio de Marisa foi mais do mesmo. Gosto muito dela, mas infelizmente tô sentindo falta das boas e belas revisitações, canções mais pra cima. O novo disco da marisa monte para mim é uma coleção de músicas para tocar na novela das 6. Ela sempre foi um expoente. infelizmente tenho que concordar que ela é um genérico dela mesma!!!

Iara disse...

Vanuza querida, eu acho que a questão não é a Marisa ser brega ou não. A Marisa Monte quando surgiu na mídia causou enorme frisson nas pessoas em geral, por sua voz, afinação, seu estilo de cantar, dentre outros. Isso fez com que o público logo de cara a idealizassem muito, e quando uma pessoa é idealizada não se permite que ela siga um outro caminho, ela tem que ser aquilo ali e pronto. E ela sempre foi muito cobrada e pressionada desde o início de sua carreira, por esse público que a idealizou, inclusive muitos fãs. Agora nunca concordei com a palavra ecletismo pra Marisa, eu acho até uma falta de respeito com a artista, a palavra mais adequada seria singularidade, pois ela sempre deixou claro que não segue um estilo específico, que seu trabalho é muito pessoal, e tem a ver muito com ela, com sua musicalidade, com o que ela sente... Diante disso, eu acho que a gente tem que fazer o que gosta e ser feliz, sem se deixar abalar por negatividade de terceiros. Valeu Vanuza, abraço!

Rodrigo Correa disse...

A parcialidade com que essa revistinha trata as coisas é de extremo mau gosto, em todas as matérias, em todas as semanas, raramente se encontra algo que conduza os leitores a formarem a sua opinião, pelo contrário, eles escrevem "verdades absolutas" e empurram goela abaixo, até dos estudantes que invadiram a Reitoria da USP, eu também sou contra mas a revista falou de um modo tão vil que eu fiquei com raiva de ter lido, com o ex-presidente Lula já cansei de ler desde sempre matérias tão caluniosas e desreipeitosas. Poupem-me dessa revista!

Luis Felipe disse...

Olha, as primeiras impressões que tive do cd foram arrebatadoras - Mas digo lá das primeiras impressões mesmo, dos vídeos postados no site com os trechos dos arranjos. Depois veio a primeira música de lançamento "ainda bem" - não gostei de cara, achei a letra bem fraquinha, e o "coração aposentado" deu uma vergonha terrível. Mas como a melodia e os arranjos me agradaram muito, ouvi outras vezes, sim! Em seguida veio o clipe, que também me causou uma constrangedora estranheza - Marisa lá de cabelo escovado, fazendo caras e bocas num clipe preto e branco dançando ná ná ná ná até o chão... Achei muito ruim mesmo! Depois veio a segunda música de trabalho "o que o você quer saber de verdade" achei muito boa, bela melodia - uma música simpática! Na semana anterior ao lançamento a música "depois" vazou no youtube, e foi um alívio poder escutá-la, finalmente, pra mim, uma música nova irretocável da MM, letra, melodia, voz, arranjos... Domingo de noite vi que o cd tinha vazado, baixei e não não quis dizer nem postar nada até ouvir outras tantas vezes... Pois bem, depois de várias "ouvidas" por aí chego a pessoal conclusão que se trata de um bom cd, nada mais que isso! Diria até um cd razoável. Não entendo porque a MM vive dizendo que fez um cd com calma, que é produtiva e coisa e tals. A primeira e boa música "o que você quer saber de verdade" já havia sido gravada a pouquíssimo tempo pelo Arnaldo, ou seja, uma regravação. A segunda música, que eu achei totalmente dispensável, "descalço no parque" também é uma regravação do jorge ben, e o pior, regravação de uma das piores músicas do ben jor. E pra meu espanto GERAL achei também que a repaginada dada a tal música teve uma influência, ou melhor, uma cópia notória da música take five, de dave brubeck, segue link do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=vmDDOFXSgAs

Luis Felipe disse...

confesso, fiquei pensando: MEU DEUS, será que é só coincidência, que cara de pau!! Depois, vem "depois" acertada música do cd, como eu já havia falado, uma música irretocável, simples, clara, excelente! Em seguida, "amar alguém", retirada do livro de poesias do Arnaldo,com a sonoridade que mais faz parecer um prolongamento do infinito particular, achei uma música enjoada, bem chatinha! A que segue é "o que se quer" ótima música, melodia feita Rodrigo Amarante e composta durante a gravação do CD, enquanto também gravavam a faixa de um cd com fins sociais, que a gora não me recordo o nome. "Nada tudo" também é uma das melhores músicas do cd, regravação do filho do Dadi. "Verdade uma ilusão", outra regravação, lançada no último cd do carlinhos, apareceu bem aguada no CD, arranjos excelentes, como em todo cd por sinal, mas uma música apática, sem nada demais. "Lencinho querido", outra regravação, não caiu no meu gosto particular, embora reconheça ser uma bela música. Já falei de "ainda bem". "Aquela velha canção", também achei uma ótima canção, simples, direta, bem a cara do Roberto Carlos, uma das melhores do CD. "Era óbvio" foi a que mais me causou estranheza, o início principalmente, muito estranho mesmo, mas depois a música vai crescendo, ganhando vida, mas letra deixando muito a desejar.. "Hoje eu não saio não" é uma música notadamente despretensiosa e a MM fez questão de deixar isso bem claro, tá, gostei! "Seja feliz" também é uma música despretensiosa, alegre, simples, mas que gostei muito. "Bem aqui" é outro ponto fraco do CD, mais uma regravação do Dadi, música fraquinha, sem muito sal..

Luis Felipe disse...

É um cd com muitas regravações, outras inéditas com letras que não condizem com a grandeza e maestria da melodia e arranjos (mistura que não deu certo), letras simples e melodias simples (pontos acertados). Que fique bem claro que essa é uma opinião pessoal, gosto e admiro muito o trabalho já realizado pela MM, mas não sou um fã cego, que gosta de tudo. Acho que a MM deveria se abrir mais pra tantos excelentes compositores que estão por aí, com uma voz incrível que ela tem, com possibilidades de criação de arranjos deslumbrantes - que facilmente se vê ao longo do CD, acho que ela poderia ir muito mais longe, juntar melhor as coisas, mesmo sendo simples.

Gabriela disse...

Parece que a função é realmente só criticar para diminuir, mas a melhor parte é que cada um tem uma opinião própria e não precisa degradar para dizer o que pensa, sou fã da MM, mas não "incondicional" , gosto de tudo o que consegue me tocar e ela faz isso melhor do que qualquer artista, ela pode ser ela, ela escolhe o que ela quer, e ela segue o coração dela, agora se você jornalista não está satisfeito com sua vida deve pelo menos pensar no que escrever antes de falar tanta coisa fora da realidade...muita viagem!
Qual o problema da humanidade em aceitar que o outro pode escolher o que quer?

ai,ai!

Camila Rennó disse...

Lamentavel uma revista de tão alto porte escrever isso da nossa DIVA, mas para mh é irrelevante, tenho um excelente opinião formada sobre a Marisa, e para mim é continua sendo a Melhor e Maior cantora viva dp Brasil.

LINO MOURAIS disse...

O pior é vir alguém aqui no Blog pra concordar e falar mal do CD tambem... Mas enfim, direito de livre expressão. Só acho meio incoerente vir aqui ajudar a detonar o CD no Blog da Marisa, poderia ter ido ao Blog do comentarista sertanejo e dar os parabéns pela matéria "inspirada e rancorosa" que ele fez. POUPE-ME GRANDÃO.

Anônimo disse...

Luis Felipe discordo quando vc fala da música do Ben Jor gostei muito da regravação deu uma nova vida a música aliás gostei de ambas Lencinho querido ficou graciosa! Verdade, Uma ilusão achei ótima! essa ao lado de "O que se quer", "Nada Tudo" e Era óbvio são as melhores do disco na minha opnião pessoal "Aquela Velha Canção" já não me agradou pra mim um dos pontos baixos do disco, ficou igualzinho a música sertaneja idem para Amar Alguém, Ainda Bem, Bem Aqui e Seja Feliz porém concordo quando diz que achou um bom Cd nada mais do que isso! também cheguei a esse conclusão depois de ouvir várias vezes nada acima da média e que as letras de algumas músicas não acompanharam as melodias e os arranjos que estão excelentes totalmente de acordo! Marisa já foi mais transgressora, agora ela foi simples, direta lembra um pouco o Memórias, crônicas apesar do disco atual falar do amor de uma forma mais leve e alegre, e o primeiro falar do amor de uma forma mais sofrida, melancólica mas os dois seguem a mesma linguagem diria.- Maria

Rodrigo Correa disse...

Senti muita falta de um samba, gênero que me toca bastante, "Universo ao meu redor" até hoje vive grudado no meu som, mas esse cd, apesar de estar longe de ser o melhor, possui ótimas canções, as melhores na minha opinião em ordem de preferência são: "Depois", "Nada Tudo", "Verdade, uma ilusão", "O que se quer", "O que você quer saber de verdade" e "Hoje eu não saio não".

Joyce disse...

Fiquei bem chateada com a matéria. Acho que os trabalhos de Marisa são, sim, condizentes com o que o público espera dela. Acho desnecessário fazer tamanha crítica, mas confesso que vindo da VEJA, não me surpreende. Eu, por exemplo, acho Michel Teló, Luan Santana e afins uma tremenda porcaria. Nem por isso acharia digna uma crítica desse porte, feita por uma revista.
O cd está leve, romântico e simples. Marisa já foi mais "densa"? Talvez... Acredito que a música também tem a ver com o estado de espírito, momento, circunstância... Pode ser esse o caso de Marisa. Ela pode estar em estado LEVE. Ou não, pode ser uma opção. O fato é que tanto nas canções "melosinhas" ou até mesmo no pseudo-forró, Marisa mais uma vez agradou meus ouvidos e encantou meu coração. Ponto negativo para a revista VEJA.

Anônimo disse...

Mais uma vez! achei o disco bem bacana... o fato de ter duas músicas que pra mim são bregas como "Ainda Bem" e "Aquela Velha Canção" não me faz achar que o disco com um todo ficou desse jeito longe disso tem ótimas canções, arranjos exelentes como falei no meu post anterior Agora no aguardo do show!!-Maria

Anônimo disse...

Brega e chique. Mas tá brega,vamos analisar bem e mais ainda comparar com os trabalhos anteriores dela. Mas vai vender como água,isso eu "agarantio".

Anônimo disse...

Esse Luis Felipe deve ser fã de Luan Santana,pensa que entende de música,viaja mas ideias alheias e se borra para avaliar. Marisa Monte é uma cantora para quem conhece e gosta da boa música.

Anônimo disse...

Se for comparar o atual com os discos mais antigos como Cor de Rosa e Cravão, Mais e até o Barulhinho Bom realmente está bem abaixo mas vamos evitar comparações desse tipo afinal cada um tem a sua história e propostas diferentes.- Ps: Acho que está leve, simples e direto-Maria

Luis Felipe disse...

Lino, jamais vou deixar de vir aqui no blog deixar minha opinião. O blog é BEM democrático, e acho que uma das intenções precípuas dele é o de estimular a boa discussão, e acredito que eu não fiz nada além de externar a minha opinião pessoal. Não vendo verdades, não induzi ninguém a aceitar meu ponto de vista, apenas disse o que acho. A propósito, há algum mal nisso? De forma alguma, você tem uma opinião, eu tenho outra, e assim é a vida meu querido! Outras pessoas também falaram que eu errei por ter vindo aqui postar meu posicionamento... Uma pena, pura pena! Como já disse, não obrigo ninguém a seguir as coisas que eu digo, mas aprender a ter respeito com a opinião alheia é fundamental. Sei de bons frequentadores que deixaram de postar seus comentários justamente por atitudes que tendem a tolher e repudiar qualquer coisa que lhes contrariem, as coisas não podem ser assim meu caro. Pense nisso! Abraços (sem nenhum resquício de ironia)!

Fernando Menezes disse...

Bem, pra comeco de conversa, a Maravilhosa Miss Monte nao precisa em nada da opiniao da revista Veja e tao menos de seu jornalista despeitado e frustado que deve ter um rancor ou inveja tremenda da maior cantora do Brasil... Marisa Monte esta muito acima da critica visilmente pessoal da Veja. Ela ja esta em nivel tao alto que ela pode cantar o que ela bem quer e tenha vontade, com aquela VOZ qualquer musica se torna uma poesia na Voz de Marisa. Essa infeliz materia da vejinha e ainda de algumas pessoas aqui nesse Blog tentand desmerecer a MM, em nada nos afeta. E voces aqui no blog que sao fans incondicionais da MM, sambemos que a nossa Diva chegou para arrembentar a boca do balao, ha ha ha ha Amei o CD inteiro , a voz dela continua nos emocionando cada vez mais e fica dificil ate falar qual eh a musica mais linda do CD, whooo whooooo Viva a Marisa Monte, the best ever !!!!!
Nao vejo a hora de ve-la aqui na California e so pra voces saberem, a Marisa eh muito bem conhecida aqui nos States para quem gosta de musica Brasileira e realmente muito admirada pela sua musica e voz...Ela veio aqui na ultima tour em 2006 e o teatro chique (UCLA) estava completamente lotado, o preco era caro, alias, ate mais caro do que cantoras Americanas como Mariah Carey, Norah Jones, Alycia Key etc... Marisa eh realmente muitissimooo poderosa , ate mesmo aqui nos Estados Unidos. A Midia aqui idolatra a Marisa tambem... So essa retardada da vejinha que nao encherga isso, mas eh problema da vejinha e nunca da Marisa Monte !
Deculpem-me o longo comentario, porem falei o que precisava falar.
Abracao a todos voces Fans e voce Vanusa !!!!
Fernando Menezes- San Diego-California

Anônimo disse...

Leu na Veja,azar seu. Marisa Monte é a melhor cantora do mundo,a Veja é uma revista que não tem moral para avaliar o trabalho de Marisa Monte.

Anônimo disse...

Pois eu pela primeira vez concordei com a Veja o CD é mesmo cafona e sem nenhuma sofisticação. E olhe que é difícil para mim admitir isso, que adoro a voz e a trajetória dela.

carla disse...

Como ja disseram lamentavel essa critica, ridiculo o cara sentar para escrever mal dos outros, nao adianta o povo falar mal a MM nao vai deixar ser o q se tornou a anos uma das melhores cantoras do Brasil, que se tornou referencia desde o dia q subiu no palco. E ser brega nao e ruim. Esses criticos falam, falam, escrevem mas esquecem do essencial q e o respeito q MM tem pela musica, esquecem q ela faz arte com sua voz, se dedica ao maximo, nunca deixou coisas banais de sua vida passar a frente a sua bela musica, ela preza pela integridade da musica, nao faz coisas por fazer, porque querem q ela fa;a. Respeito a Marisa, nao faz anos q sou fa dela, gostava de hard core e ainda gosto, mas antes gostar da MM ja respeitava ela por nao ser banal e futil. Esse povo deveria perceber o respeito q ela tem com a arte, e aprender com ela nao ficar criando polemica para aparecer. VALEU MARISA.

Carla disse...

Ha nao poderia deixar de comentar q o forte da veja e esperar alguma coisa ruim acontecer com algum artista pra colocar a cara da pessoa na capa. Em questao de arte ela nao tem gabarito, acho q deu pra peceber, ate gosto de ler criticas para ter uma no;ao das coisas pq pretendo ser critica de arte, mas essa revista deu uma no;ao rasa e preconceituosa nao so com a MM mas com outros estilos musicais. Totalmente ridiculo, isso nao e critica parece uma briga.

Carla disse...

Ha nao poderia deixar de comentar q o forte da veja e esperar alguma coisa ruim acontecer com algum artista pra colocar a cara da pessoa na capa. Em questao de arte ela nao tem gabarito, acho q deu pra peceber, ate gosto de ler criticas para ter uma no;ao das coisas pq pretendo ser critica de arte, mas essa revista deu uma no;ao rasa e preconceituosa nao so com a MM mas com outros estilos musicais. Totalmente ridiculo, isso nao e critica parece uma briga.

André Neves (deo_botelho@hotmail.com) disse...

Acho digno abrir espaço nesse blog pra qualquer nível de crítica!
Não é porque vc seja fã ou admire determinado artista que vc irá criar uma redoma de vidro ao redor dele ou do trabalho do mesmo.
Eu mesmo sou um ardoroso fá de Marisa Monte desde quando escutei Bem Que Se Quis como tema da personagem de Lúcia Veríssimo na novela O Salvador da Pátria e, de lá pra cá, criei o hábito de me manter informado sobre tudo o que for possível sobre ela, quer me agrade ou não!
Já lí de tudo sobre: de notinhas comentando agenda de shows até verdadeiros tratados sobre a "Estratégia de Marketing de Marisa Monte".
Muitos críticos e admiradores do trabalho da cantora perceberam a tempo que é inútil tentar prever o imprevisível, rotular o inrotulável!
Pura perda de tempo esperar algo de Marisa que não seja o que ela mesma conceba e conceitue.
Nesses anos todos a forma de lidar com a música mudou, a forma de lidar com o público mudou, a forma de comercializar a musica visivelmente se modificou. Muitos perceberam essa transição e se adaptaram mas, parece que um segmento específico parou no tempo: o dos críticos da obra de Marisa Monte.
Eles, assim como alguns fãs, parecem estar perpétuamente encerrados no afã de encontrar resposta pra tudo, uma verdade absoluta, um conceito pro anticonceitual, uma definição pra um determinado gosto de Marisa.
Quando eles perceberem que o que ela quer é só cantar e ser feliz, aí muito tempo já se passou e eles perderam o maior prazer da viagem: degustar as músicas de Marisa Monte sem pressa, sem amarras e sem barreiras.
Ela trabalha com músicas que ela gosta de trabalhar e que por coincidência caem no gosto de uma parcela mais ampla de ouvintes.
Não espere, não divague, não julgue, apenas desfrute de uma opção de vida e de estilo porque,
como disse um fã "ela escolheu ser simples!" e até o simples de Marisa Monte é refinado e para todos os ouvidos!!!
OQVQSDV é a prova de que escolhas simples e toques sofisticados podem resultar em um produto consistente e coerênte, fresco e despretencioso.
A música título me dá vontade de sair correndo pela rua.
"Descalço no Parque" relembra o melhor de Ben Jor nos palcos.
"Depois" é puro Roberto Carlos sim (quem já conseguiu fazer algo igual?)!
"Amar Alguém", requer coragem (é o tipo de letra de quem dá a cara a tapa...)
"O Que Se Quer", ingenuidade de marchinha de carnaval com letra inteligente.
"Nada Tudo", quando nossa diferença reforça nossa semelhança!
"Verdade Uma Ilusão", requintado como um Fox Trot mais cadenciado.
"Lencinho Querido" não é pretenciosa em querer ser melhor que a interpretação de Dalva, pelo contrário, nada mais é do que uma reverência em querer cantar junto com ela!
"Ainda Bem", versatilidade.
"Aquela Velha Canção" tem algo de um Raul Seixas romântico.
"Era Óbvio", saudades de um Tim Maia!
"Hoje Eu Não Saio Não", mostra como o ser humano é mutável e inconstante. Se nos Tribalistas a pessoa não tinha paciência pra televisão e não queria ser audiência pra solidão, hoje: "nunca estou sozinho quando estou em minha companhia!"
"Seja Feliz", pra que se ocupar com questões tão desnecessárias?!
"Bem Aquí", última faixa propositalmente propiciando uma longa reflexão sobre algo ou alguém... rs

PS: "Expectativa demais já é um passo pra frustração" e de Marisa Monte não se deve esperar nada.. Do topo do Olimpo de onde ela habita, devemos apenas absorver o conteúdo que dela emana.
Vá por mim, é puro aprendizado!!!

Dalofon disse...

Vale a pena ler com atenção os comentários do André Neves, com uma dignidade de escrita ímpar! Muitos jornalistas (incluindo os da Revista Veja) deveriam ler isso! Parabéns André. Espero que a Marisa Monte leia o que você escreveu. Críticos há muitos, mas críticos com sensibilidade e conhecimento existem poucos! Como qualquer outra pessoa, Marisa é uma excelente profissional, mas é um ser humano e não tem de agradar a todos - nem Deus agrada! Parece é que essa gente que fala mal têm é "raiva" da liberdade que ela conseguiu conquistar. Obrigado.

André Neves (deo_botelho@hotmail.com) disse...

Dalofon,

Obrigado pelas palavras gentis e visívelmente sinceras!

Precisava lhe agradecer acima de tudo por vc ser possuidor do mesmo tipo de visão que tenho de Marisa Monte: um ser humano que optou trabalhar com a sensibilidade exacerbada e que não mede esforços para proporcionar informação, sentimento, lazer e comunhão através da música!

Acho a questão do fã muito delicada... existem pessoas e pessoas.

Se vc é uma pessoa descompensada, automáticamente vc será um fã descompensado, ou vc será um crítico descompensado, ou vc será um artista descompensado.

Gostei do seu comentário a respeito da maneira como escrevo (não precisa ser culto, apenas ter a sensibilidade que citaste!)

Confesso que me deixaste envaidecido mas reconheço que exageraste nos detalhes!

PS1: Não imagino Marisa Monte lendo meu comentário! Seria no mínimo vergonhoso pra mim perceber que a mesma encontraria erros grosseiros de Língua Portuguesa e contradições pecaminosas na minha maneira de pensar, escrever e agir!!! kkk

PS2: Mais uma vez obrigado e apareça sempre que quiser. Serás sempre bem-vindo(a)!